O que Faria Você dar “Unfollow” em Alguém?

Unfollow

O Twitter, assim como outras redes sociais, é inegavelmente um ótimo lugar para conhecer pessoas e fazer networking. É certo dizer, também, que o Twitter não para de crescer: estima-se que o Twitter tenha hoje aproximadamente 175 milhões de usuários, apesar do fato de que os tuítes são disparados por cerca de 0,01% do número total de contas. Segundo pesquisa recente, perfis de celebridades, blogueiros e representantes de comunicação compõem uma elite responsável por cerca de 50% dos tuítes disparados. Muitos têm conseguido tirar vantagem do fenômeno que se tornou o twitter, outros perdem o interesse logo depois de criar suas contas.

Uma semana. Este é o intervalo de tempo gasto para que 1 bilhão de mensagens sejam enviadas atualmente. Diante de tanta informação, o que levaria você a dar “unfollow” em alguém?

  • Alguém lhe enviar um spam, um dia depois de você começar a segui-lo?
  • Alguém que tuíta demais, sempre anunciando alguma coisa?
  • Alguém boca suja, racista, machista, feminista?
  • Alguém que usa a ferramenta apenas para se auto-promover?
  • Alguém com visão política diferente da sua?
  • Alguém que te dá um “unfollow” sem nenhuma razão aparente?
  • Alguém que vive reclamando da vida?
  • Alguém que pratica “bullying” na rede?
  • Alguém que tuíta pouco ou nada muito relevante?
  • Alguém que tuíte diretamente do banheiro?
  • Alguém que utiliza o microblog para ficar batendo papo?

Esta semana o Twitter anunciou uma nova ferramenta para busca de perfis com base nos interesses pessoais de cada usuário, permitindo assim, que o usuário encontre as contas mais relevantes em diferentes assuntos. Para usufruir da novidade, basta o usuário clicar em “people” na página de resultados da busca, ou em “who to follow”. Segundo o Twitter, sua lista é ampla e foi dividida em vários tópicos específicos.

A nova ferramenta ajudará e muito aos novatos do microblog a encontrar perfis interessantes para seguir, sem a necessidade de ficar dando “unfollow” a todo momento.


Transforme seu Perfil do Facebook em Ferramenta de Trabalho

Mark Zuckerberg

Há um tempo atrás, demonstrei preocupação com a maneira com que profissionais conduziam seus perfis em redes sociais, principalmente porque as empresas têm vasculhado perfis em busca de profissionais. A Revista Exame, em seu site, demonstra como podemos  transformar um perfil do facebook em uma ferramenta de trabalho. As cinco primeiras dicas estão abaixo, acesse o site para ler as demais dicas.

1. Decrete a falência da sua fazenda no Farmville

O primeiro passo para transformar seu perfil no Facebook em ferramenta de trabalho é fazer um pente fino em tudo o que não tem qualquer conexão com o ambiente corporativo.

Fotos pessoais, jogos como Farmville e até comentários pouco pertinentes dos amigos devem ser abolidos do seu perfil. Se você não quiser se desfazer de tudo isso, crie um perfil alternativo para o trabalho.

2. A versão formal de você

Feita a faxina geral, é hora de criar um perfil com mais cara de currículo. E, nesse ponto, a regra é ser objetivo.

Portanto, nada de frases de efeito ou com caráter duvidoso no campo “sobre mim”. Antes, descreva suas habilidades e aspirações profissionais.

3. Panorama profissional

Aproveite o campo “empregadores” para colocar o nome de todas as empresas em que trabalhou - mesmo se por um curto período de tempo. Atenção também para o campo Projetos. Nesse ponto, é possível criar um inventário de todo seu trabalho e principais resultados.

Já em Faculdade/Universidade é possível criar um panorama da sua formação preenchendo o campo Aulas.

4. Faça um teste e torne-se relevante

Quer convencer todos os empregadores de que vale a pena contratar você? Então, mostre-se interessante. Um jeito divertido de fazer isso é entrar na onda dos testes para a rede social e elaborar um voltado para a sua área de especialidade.

O aplicativo Quiz Planet é ideal para isso. Basta preencher um formulário com questões e respostas e, pronto, o teste está criado. Depois, é só difundir entre a sua rede de contatos. Quem sabe o seu quizz não aparece na página incial de um recrutador à procura de um profissional criativo?

5. Vá além do convencional

Aproveite o Facebook para investir em soluções criativas para a sua marca pessoal – algo que você jamais poderia fazer em outro lugar.

Será que as empresas estão atentas à importância das ferramentas de geolocalização?

Essa relação direta com o consumidor pode gerar muitos frutos. Através da ferramenta,  a empresa pode oferecer um desconto ou um brinde para o “mayor” do local, assim criando a fidelização tão esperada por empresários ao seu estabelecimento.

Foursquare

Vejamos uma ação bem interessante divulgado pelo site Mobilepedia sobre um taxista que está ganhando reconhecimento no mercado de mídias digitais na Espanha.  Tudo começou quando um taxista de 37 anos decidiu oferecer desconto de 10% para aqueles que fizessem o checkin via foursquare em seu ponto de taxi. Para divulgar: um adesivo em seu automóvel, um blog e mídias socias. Ação de baixo custo e muitos frutos,  já são mais de 2500 checkins.

Se você é usuário do Foursquare,  provavelmente adora encontrar os ícones “Special” ou “Special Nearby”, que indicam descontos nos estabelecimentos próximos.  Aprendi, através do site Mobilepedia , que foi criado um site, CheckinDeals,  que aponta as melhores ofertas da sua cidade. O website solicita sua localização e mostra não apenas os descontos próximos, como faz o aplicativo do Foursquare, mas também de bairros vizinhos.

Outra ação bem interessante é da rede Spoletto, onde o  mayor da loja ganha uma Massa Tradicional toda sexta-feira. Para isto vá até o caixa, faça o check-in e mostre que você é o Mayor! Abaixo as franquias da loja que participam da promoção.

Rio de Janeiro
- Spoleto Botafogo Praia Shopping
Spoleto Pedro Lessa
Spoleto Rio Branco (RB1)

São Paulo
- Spoleto Faria Lima
Spoleto Shop. Villa Lobos
Spoleto Al. Santos

Mesmo assim, esse tipo de ação ainda é é ínfima no Brasil, já nos Estados Unidos a utilização do “Specials” tem se tornado cada dia mais comum.

Geolocalização

Ao visitar seu estabelecimento o usuário compartilha sua localização nas redes sociais, gerando assim uma exposição gratuita.  Além disso, o foursquare permite ao cliente opinar sobre o serviço oferecido pelo seu estabelecimento.  Nesta caso, seu estabelecimento pode se beneficiar das redes sociais. Se o seu estabelecimento oferece bom atendimento,  preços interessantes, é limpo, é agradável, certamente seus clientes deixarão boas dicas, ou seja, seus clientes estarão indicando seus serviços nas redes sociais. O boca-a-boca será maior ainda, se o seu estabelecimento participar das redes sociais.  Já imaginou a quantidade de tráfego que isso tuddo pode gerar?

Contudo, algumas opiniões  sobre seus serviços podem ser negativas.  Sendo assim, esta é uma boa hora para encontrar soluções  e reparar algumas falhas.

Aprenda um pouco mais Como fidelizar clientes via aplicativos mobile de geolocalização, como o Foursquare lendo este excelente artigo.

Empresas vasculham perfis em redes sociais, e agora?

midias sociais

Tenho visto, no twitter, muita gente simplesmente “esculhambar” a empresa onde trabalha, apontando erros de todos os tipos. Essa questão do uso das redes sociais por funcionários de uma empresa é bastante complexa. Algumas questões imediatamente surgem, tais como, por exemplo: “deveria o funcionário ter duas contas no twitter, uma ‘pessoal’ e outra, ‘profissional’?” Em uma entrevista que assisti, um consultor de RH dizia já virou rotina, antes da contratação, nas empresas, vasculhar os perfis dos entrevistados nas redes sociais para obter mais informações e assim ter um perfil melhor.

Cabe à empresa monitorar o comportamento de seus funcionários nas redes sociais, ou os profissionais é que deveriam procurar entender que certos tipos de comportamento podem afetar negativamente a imagem da empresa perante o mercado? Acredito que, em uma empresa séria, existe essa preocupação, pois a marca pode sair com a imagem arranhada caso determinadas informações vazem em uma rede social, ou caso seus funcionários não tenham um comportamento adequado.

procurando emprego

Mas você pode zoar seu melhor amigo logo após o time dele levar um gol do seu time? E você, que gosta de deixar mensagens de cunho político ou religioso, e se as mesmas forem contrárias à posição do entrevistador/empresa? Quem nunca ouviu falar de casos de pessoas que terminaram relacionamentos, amizades, ou ainda, perderam o emprego porque postaram mensagens ou fotos inadequadas?.

 Sobre isso é bom lembrar: Há algum tempo, as pessoas falavam mal de suas empresas no barzinho ou em família. Agora, falam nas redes sociais, achando que estão falando apenas para seus amigos e/ou familiares, mas, na verdade, estão falando para o mundo. A regra de ouro para o bom uso das redes sociais é o bom senso: pensar antes de falar, e, na dúvida, calar. Outra regra válida é comportar-se na web como se comportaria presencialmente. Assim, você evita se expor e expor a sua empresa/marca.